Na manhã desta sexta-feira (13), no auditório Rio Jucu, foi realizada a primeira parte do III Seminário de Educação Ambiental em áreas de Manguezal. A primeira palestra do seminário foi ministrada pelo coordenador do Núcleo de Pesquisa em Agricultura e Pesca, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/Meio-Norte), Jefferson Legat.

Jefferson falou sobre as pesquisas realizadas em áreas de manguezais, nos estados do Pará Maranhão e Piauí. Ele explicou que o caranguejo-uçá é um dos mais explorados do Brasil e na região Nordeste é um importante recurso pesqueiro, com elevado valor socioeconômico que gera emprego para milhares de famílias que habitam as zonas litorâneas.

De acordo com Jefferson, o trabalho da Embrapa é um trabalho de formiga. “A gente vai lá conversa com a comunidade e, aos poucos, vamos construindo

Jerffeson Legat (6)

foto: Carlos Antolini

uma relação de confiança, importante para o nosso trabalho”, afirmou.

Segundo Jeferson as pesquisas apontam para a forma inadequada da captura e transporte dos caranguejos. A partir dos estudos realizados, muitas soluções já surgiram. Foram testados vários tipos de transporte e verificou-se que o transporte com os animais soltos em cestos e caixas, com espuma ou panos umedecidos com água do mangue, apresentou o menor índice de mortalidade – entre zero a cinco por cento -, enquanto que o transporte dos animais amarrados, como de costume, apresenta uma média de 25 a 55% de mortalidade.

A equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) parabenizou Jefferson Legat pelo trabalho realizado e afirmou que as experiências apresentadas serão muito importantes para Vitória e que as técnicas utilizadas por eles lá no Nordeste serão implantadas aqui.

Leia mais.

Anúncios