collet

foto: Carlos Antolini

O modelo de despoluição e recuperação do rio Sena, em Paris, foi apresentado na manhã desta quinta, no seminário internacional A Década da Água no Mundo, realizado no auditório  Rio Santa Maria da Vitória, na Feira do Verde. Quem fez o relato das ações implemantadas pelo poder público francês, foi o diretor delegado da Agência de Águas Sena-Normandia, Marc Collet.

Há 40 anos, os níveis de poluentes no rio eram altíssimos e ações emergenciais foram necessárias para que o Sena não morresse ou virasse um grande esgoto. Segundo o especialista, leis implementaram altas taxas aos poluidores do rio. O diretor afirmou que o todo dinheiro arrecadado com essas taxas, e com as multas foi aplicado somente na recuperação dos mananciais. Para Collet, isso foi determinante para o sucesso do projeto.

Em Paris, também foi formado um comitê gestor comprometido em salvar o rio e as bacias que formam seu curso. Os agricultores foram orientados e estimulados, inclusive, com recursos financeiros, para preservar suas propriedades e o leito do trecho do rio usado por eles.

O prefeito João Coser também participou do seminário e disse que, assim como Paris, Vitória sofre

Prefeito e Collet

foto: Carlos Antolini

influência de cidades vizinhas e sente os efeitos da Região Metropolitana. Para ele, são questões que afetam a todos e, se no passado não houvesse tanto descaso, não seria preciso investir tantos recursos para tratar a água e o esgoto.

“Observamos que os problemas são comuns nas grandes cidades do mundo e as estratégias pra as soluções podem ser compartilhadas.”, destacou. Coser contou que a despoluição da Praia de Camburi é prioridade e que os recursos estão disponíveis e os parceiros definidos. “A partir daí é preservar e contar com a colaboração dos moradores, do poder público e das empresas para que erros e descasos não voltem a acontecer”.

Leia mais.

Anúncios